Sistemas informatizados dão agilidade aos serviços públicos

Nesta segunda-feira, 15, é comemorado o Dia da Informática. Para a Prefeitura de Belém, é o momento de avaliar os benefícios dos sistemas implantados pela Companhia de Tecnologia da Informação de Belém (Cinbesa) nas secretarias e demais órgãos municipais, visando o melhor atendimento da população com os serviços informatizados. Dentre as melhorias, destaca-se o sistema Rede Bem Estar Belém, que objetiva informatizar a rede de saúde pública da capital.

Considerado ágil e sustentável, o sistema foi implantado na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da Sacramenta no mês de julho, e entre suas funções estão o cadastro único de usuários (pacientes, usuários, profissionais), o acesso ao cadastro unificado do Sistema Único de Saúde (SUS), para obter dados do paciente, e o uso do modelo de classificação de risco, seguindo o Protocolo de Manchester – que classifica os pacientes através do uso de cores e permite o atendimento adequado e mais rápido. Futuramente, todas as unidades de saúde deverão estar interligadas por meio do sistema.

De acordo com a diretora da UPA Sacramenta, Cristielaine Zaninotto, com o trabalho informatizado, além de agilidade, é possível dispor de um maior controle de todos os processos de atendimento do paciente. “Através dele temos uma série histórica dos pacientes, além de resolutividade sem a perda da informação”.

Para trabalhar com o Rede Bem Estar Belém, os profissionais da Secretaria Municipal de Saúde (Sesma) que atuam na UPA participaram de um treinamento para operar o sistema. Com a funcionalidade do programa, é possível acompanhar a quantidade de pacientes que passaram aguardando atendimento na recepção, a classificação de atendimento (cores), o tempo de espera de acordo com os especialistas e a quantidade de atendimentos por sala.

Para o enfermeiro Márcio dos Santos, de 38 anos, o uso da tecnologia será o grande diferencial na prestação de serviço à população. “Eu trabalho há anos nesta função, ou seja, estava acostumado com o uso das fichas que, no fim, se tornam um transtorno na vida da gente, porque acontecem perdas involuntárias de informações. Já com o sistema totalmente informatizado, a gente sabe que além de realizar um trabalho com mais agilidade, ele será seguro e terá o mínimo de erros”, afirmou Márcio.

Aquisição – O Rede Bem Estar Belém foi adquirido por meio do Termo de Compromisso entre a Prefeitura de Belém e a Prefeitura de Vitória (ES), assinado em janeiro deste ano, e é administrado pela Sesma neste processo de implantação nas unidades. Já a Cinbesa tem o papel de gerir a parte tecnológica. “A ideia é que futuramente o sistema interligue todas as unidades municipais de saúde; prontos-socorros e UPAs em um único programa. Isso vai garantir a armazenagem de dados e diminuição de custos com impressões”, explicou o presidente da Cinbesa, José Regis Junior.

Futuramente o software deverá integrar os prestadores de serviços, como os laboratórios, que poderão enviar os resultados dos exames em formato digital, tornando esse processo muito mais eficiente e ágil. “Estamos em fase de aprimoramento do sistema, de acordo com a necessidade da UPA. Com a utilização deste novo sistema, há a possibilidade de eliminar a emissão de documentos impressos, como os prontuários, relatórios, entre outros, tornando a gestão cada vez mais sustentável”, destacou Regis.

Atendimento – “O choro era de susto, mas o momento mais tenso já havia passado”. Assim a professora Viviane Sousa descreveu a aflição que passou após um incidente com o aluno Willian Machado, de 6 anos, enquanto brincava na escola. “Ele estava correndo, não viu uma coluna à sua frente e acabou dando de encontro. Como as crianças estão sob nossa responsabilidade e a mãe dele não teria como vir ao médico acompanhar, eu mesma o trouxe para a UPA. Confesso que fiquei muito surpresa com a agilidade que vimos desde o cadastro dele na recepção, até o momento de ser atendido. É muito bom saber que a rede municipal evoluiu desta forma”, disse a pedagoga.

Já o casal de aposentados João Luis Dias, 63, e Maria da Conceição Lopes, 58, foram até a unidade para controlar os níveis elevados da pressão. “Sofremos de pressão alta devido ao diabetes. E assim que entramos nessa nova UPA, fiquei surpreso com a estrutura, principalmente com essa parte informatizada, que antes só era possível ver em rede particular. É uma evolução que a gente precisava ter para que a realidade da saúde no município ganhasse outra visão”, afirmou o aposentado.

Revolução – O software de gestão Rede Bem Estar foi desenvolvido em 2008 e mantido pela Subsecretaria de Tecnologia da Informação de Vitória (ES), e já foi reconhecido por sua excelência na otimização de custos. O sistema está inserido ainda, no programa Cidades Inteligentes e Humanas, da União Europeia, que visa promover a cooperação no conhecimento e inovação por meio de ações integradas para o desenvolvimento de soluções urbanas inovadoras, em segurança pública, mobilidade urbana, turismo, saúde e educação.

Para o titular da Sesma, Sérgio Amorim, o principal objetivo desta implantação é melhorar o atendimento à população e, principalmente, o acesso da população à saúde. “O sistema é um grande ganho neste momento da informatização. Ele é fácil, rápido e faz a classificação de risco dos pacientes de forma automática. O Rede também vai nos permitir identificar o paciente, bem como seu histórico dentro da unidade e a origem”, ressaltou o secretário.

Tecnologia de ponta – Além do serviço voltado para a saúde, por meio da Cinbesa também está instalando o sistema de rede de fibra óptica nas secretarias municipais, que prevê uma malha de 350 quilômetros de rede na área metropolitana, resultado de uma parceria com a Empresa de Processamento de Dados do Pará (Prodepa).

Com a fibra óptica, a rede de comunicação da prefeitura se torna mais segura, e independente, possibilitando que os órgãos municipais usufruam de diversos benefícios, como o compartilhamento de sistemas como os dos Impostos Predial e Territorial Urbano (IPTU) e Sobre Serviços (ISS), consulta de dados, digitalização de documentos existentes para futura recuperação e acesso a câmeras de vigilância pela Superintendência Executiva de Mobilidade Urbana (Semob) e Guarda Municipal de Belém (GMB).

Texto: Karla Pereira
Foto: Alessandra Serrão – NID/Comus / Uchôa Silva-Agência Belém / Uchôa Silva/Comus
Coordenadoria de Comunicação Social (COMUS)